sábado, 9 de agosto de 2008

FUGA


"fuga " é o meu titulo para a quantidade [7] do Lado de cá, ao deus-dará.. de A.Bagão Félix "numa viagem ao mesmo tempo solitária e acompanhada... que é a sombra do lado de cá, em que vivemos, na expectativa de que Deus dê expressão à nossa esperança na luz que existe do LADO DE LÁ.


Se ter trabalho é um factor de esperança, ter tempo é um factor de harmonia.
Trabalho sem tempo é tão perverso como tempo sem trabalho.
Aliás, esta aliança harmoniosa entre os diferentes tempos da vida deveria ser ensinada nas escolas como um factor saudável de exigência com responsabilidade, de felicidade e de produtividade!
Infelizmente não é o que se vê na educação, hoje absurdamente orientada para o individualismo laxista ou, em oposição, para a competição predatória.
No mundo do trabalho são visíveis, também, sinais preocupantes de desumanização das relações laborais, de desconsideração do envolvimento familiar e da apologia do sucesso sem regras.
Em nome do primado da exclusiva proficiência profissional, esfuma-se o gosto pelo simples e natural, deixam-se para trás projectos infinitamente maiores do que todos os outros, como o de ter um filho, e prejudica-se, às vezes irremediavelmente, a sua educação.
Escreveu João Paulo II que para o homem, não tem apenas um significado técnico, tem também um significado ético.
Por detrás de cada um, está uma família à espera!


De António Bagão Félix - DO LADO DE CÁ AO DEUS-DARÁ

6 comentários:

BlueVelvet disse...

Olá JC,
não conhecia esta faceta do Bagão Félix.
Muito interessante.
Beijinhos e bom domingo

Vieira Calado disse...

Olá, amigo!
Estou com pouquíssimo tempo.
Passei apenas para deixar um abraço.

prafrente disse...

"não ter tempo" é uma expressão que já faz parte do inconsciente colectivo português...
Somos os piores conductores da Europa...porque NÃO TEMOS TEMPO...para andar devagar...
O caricato da questão é que esta PRESSA com que nos movemos ainda não nos fez sair da cauda da Europa...ou seja, quanto mais corremos mais atrás estamos.Dito de outra maneira, sofremos de hiperactividade improdutiva.

titofarpas disse...

Está muito interessante...
Parabéns pela escolha do texto... não imaginava que fosse do Bagão félix...
Abraço

f@ disse...

A sombra e a luz de dois tempos, sem espaço ...onde qualquer relógio apressado pára em pulsar agitada mente absurso quando lhe foge a luz...
fica imagem/sombra,de uma forma estranha de "mundo" distante no lado de lá ...
beijinhos das nuvens

Carlos Barros disse...

"Sem tempo para percorrer a alma de quem sobra" - poderia ser o título, não sei bem de quê...mas sobra-nos a vontade dos vários lados.

Abraço